Estelionatário foragido e com nome falso é descoberto por papiloscopistas da Central de Flagrantes

Papiloscopistas da Polícia Civil, lotados na Central de Flagrantes, identificaram um estelionatário foragido que tentava se passar por outra pessoa nesta terça-feira (29).

Policiais conduziram o estelionatário à seção de Papiloscopia da Central Geral de Flagrantes para confirmação de identidade, visto que havia dúvidas sobre o seu verdadeiro nome. No momento da entrevista com o papiloscopista Juliano Adorno, o conduzido afirmou se chamar Marcio Rogério Neres de Lima e disse que havia feito identidade no Distrito Federal.

Feita a pesquisa no sistema Goiás Biométrico das impressões digitais coletadas não foi localizado cadastro no estado. No mesmo momento, a papiloscopista Flávia Felter fez a solicitação de pesquisa ao Instituto de Identificação do Distrito Federal, que foi prontamente atendida.

Após confronto das impressões digitais enviadas pelo DF, foi constatado que não se tratava da mesma pessoa. Diante disso, o suspeito foi novamente inquirido a respeito de seu verdadeiro nome e, aí então, confessou estar mentindo e afirmou se chamar Marcos Roberto Neres de Lima. O nome dito anteriormente se tratava de seu irmão.

Em nova pesquisa junto ao Instituto de Identificação do DF, foi localizado cadastro de Marcos Roberto Neres de Lima, cujas impressões digitais são coincidentes com as do conduzido.

A maior surpresa foi encontrar no Banco Nacional de Mandados de Prisão a existência de 4 mandados em aberto em seu nome verdadeiro, totalizando mais de 8 anos de condenação.