Mulher vai depor como testemunha e acaba presa, após papiloscopista identificar fraude

A Central de Flagrantes da Polícia Civil de Anápolis prendeu, nesta segunda-feira (19), Daniela Batista, de 24 anos. A moça compareceu à Central para depor na condição de testemunha, durante a lavratura de um procedimento policial e apresentou-se com o nome de Gabriela Batista, que na verdade é o nome de sua irmã gêmea.

Após ser identificada pelo papiloscopista Murillo Martins Toledo, os policiais civis, coordenados pelo delegado Ariel Martins, buscaram mais informações sobre Daniela e encontraram um mandado de prisão em desfavor dela, por ter sido condenada por crime de roubo,  expedido pela Comarca de Goiânia.

Assim, Daniela foi autuada pelo crime de falsa identidade. O mandado de prisão foi cumprido e ela foi encaminhada para a unidade prisional de Goiânia.