Polícia Civil elucida fraude com o apoio do programa Harpia

1498

A 9ª Delegacia de Polícia de Goiânia conseguiu elucidar uma fraude com o apoio do programa de comparação facial da Polícia Civil de Goiás, conhecido por Harpia.

Após uma representação criminal do Banco Santander, informando sobre a ocorrência dos crimes de falsificação de documento particular, uso de documento falso e vantagem ilícita em prejuízo alheio, em decorrência de suposta fraude contratual que resultou no prejuízo de mais de R$ 36.000,00 para a instituição financeira, a Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o caso.

Os policiais averiguaram que Luciano Pinheiro Menezes utilizou uma carteira de habilitação falsa, com os dados de Tony Bessa Ávila, para celebrar o contrato de financiamento e de veículo junto ao banco. O documento foi encaminhado ao Instituto de Identificação para reconhecimento facial de imagens, uma vez que apenas os dados eram falsos e a foto do documento era de Luciano.

O Instituto de Identificação realizou busca no sistema criminal do Goiás Biométrico e através do programa Harpia chegou ao investigado Luciano, o qual foi reconhecido pelas testemunhas do fato.